Selo Do Blog

yelrose_glb-001.gif

17 / 09 / 2010
Brumaximus

Free Web Counter
Free Hit Counter

Meu Nome:

Mafalda

Signo:

libra.gif

Residência:

Açores

Ilha Terceira

mail1.gif

mcapote@sapo.pt

Gosto de:

Passear ao pé do mar; Ouvir música; Ver T.V.; Ler; Jardinagem e do meu blog...

Adoro:

Animais e Cozinhar...

Música:

Gosto de quase tudo.

T.V.:

Algumas Novelas e Filmes.

Livro:

"As palavras que nunca te direi."

Jardinagem:

Plantas de interior e de jardim.

Blog:

Cada dia aprendo mais sobre este mundo...

Animais:

Tenho 2 cadelas: a Nina e a Dalila e a gata Kika e peixes.

Gastronomia:

Tradicional Terceirense; Portuguesa; Chinesa; Italiana; Mexicana...

Detesto:

Mentira; Falsidade, Cobardia e Inveja.

Frase:

"Não importa o quanto essa nossa vida nos obriga a ser sérios... Todos nós procuramos alguém para sonhar... brincar... amar... e tudo o que precisamos, é de uma mão para segurar, e um coração para nos entender."

Pesquisar

 

Arquivos

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Arquivos Recentes

O TEMPO

DIA DA MÃE

ACORDE PARA VENCER!

...

A MACIEIRA ENCANTADA

A VIDA É SIMPLES...

CAVALO A GALOPE

ESTRATÉGIAS

AMIGO NÃO TEM DEFEITOS

BOM FIM DE SEMANA!

I love your blog.bmp

SeloMT - Mudar o Template.jpg

IDEIAS E IDEAIS

logotipo-00.gif

logo2005-00.gif

logo-00.gif

logocruz_rec.gifl-gastro.gif

Aroma de Mulher

limkme02.gif

Dreamer World00.bmp

Doce Veneno.bmp

apaixonada.bmp

Biscoitos

Alma sem Fim!

Azoriana Blog

Cheguei!!!

Diabinho

OlharDeFogo_800 (2).jpg

Metamorphosis!

Meu Tesouro

Chica IlhéuChica Ilhéu

vagueando


bandeiras0101.gifazores_mw.gif

Priôlo
Salvemos o Priolo

Selo
Selo de Inscrição E.B.I.T

Quinta-feira, 16 de Março de 2006

A PEDRA NO CAMINHO


caminhu.jpg



Conta-se a lenda de um rei que viveu num país além-mar há muitos anos. Ele era muito sábio e não poupava esforços para ensinar bons hábitos a seu povo. Freqüentemente fazia coisas que pareciam estranhas e inúteis; mas tudo que fazia era para ensinar o povo a ser trabalhador e cauteloso.


Nada de bom pode vir a uma nação dizia ele cujo povo reclama e espera que outros resolvam seus problemas. Deus dá as coisas boas da vida a quem lida com os problemas por conta própria.


Uma noite, enquanto todos dormiam, ele pôs uma enorme pedra na estrada que passava pelo palácio. Depois foi se esconder atrás de uma cerca, e esperou para ver o que acontecia.


Primeiro veio um fazendeiro com uma carroça carregada de sementes que ele levava para moagem na usina.


Quem já viu tamanho descuido? disse ele contrariadamente, enquanto desviava sua parelha e contornava a pedra. Por que esses preguiçosos não mandam retirar essa pedra da estrada? E continuou reclamando da inutilidade dos outros, mas sem ao menos tocar, ele próprio, na pedra.


Logo depois, um jovem soldado veio cantando pela estrada. A longa pluma do seu quepe ondulava na brisa, e uma espada reluzente pendia à sua cintura. Ele pensava na maravilhosa coragem que mostraria na guerra.


O soldado não viu a pedra, mas tropeçou nela e se estatelou no chão poeirento. Ergueu-se, sacudiu a poeira da roupa, pegou a espada e enfureceu-se com os preguiçosos que insensatamente haviam largado uma pedra imensa na estrada. Então, ele também se afastou, sem pensar uma única vez que ele próprio poderia retirar a pedra.


Assim correu o dia. Todos que por ali passavam reclamavam e resmungavam por causa da pedra colocada na estrada, mas ninguém a tocava.


Finalmente, ao cair da noite, a filha do moleiro por lá passou. Era muito trabalhadora, e estava cansada, pois desde cedo andava ocupada no moinho.


Mas disse a si mesma: Já está quase escurecendo, alguém pode tropeçar nesta pedra à noite e se ferir gravemente. Vou tirá-la do caminho.


E tentou arrastar dali a pedra. Era muito pesada, mas a moça empurrou, e empurrou, e puxou, e inclinou, até que conseguiu retirá-la do lugar. Para sua surpresa, encontrou uma caixa debaixo da pedra.


Ergueu a caixa. Era pesada, pois estava cheia de alguma coisa. Havia na tampa os seguintes dizeres: Esta caixa pertence a quem retirar a pedra.


Ela abriu a caixa e descobriu que estava cheia de ouro.


A filha do moleiro foi para casa com o coração feliz. Quando o fazendeiro e o soldado e todos os outros ouviram o que havia ocorrido, juntaram-se em torna do local na estrada onde a pedra estava. Revolveram o pó da estrada com os pés, na esperança de encontrar um pedaço de ouro.


Meus amigos disse o rei, com freqüência encontramos obstáculos e fardos no caminho. Podemos reclamar em alto e bom som enquanto nos desviamos deles se assim preferirmos, ou podemos erguê-los e descobrir o que eles significam. A decepção é normalmente o preço da preguiça.


Então o sábio rei montou em seu cavalo e com um delicado boa-noite retirou-se.



Autor desconhecido.


publicado por mcapote às 01:46
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Nice a 19 de Março de 2006 às 11:33
Grande lição de vida! Vale para toda a gente!

Comentar post

perdoar.jpg

09-00.gif

k0176.gif

Foto27-00.jpgFoto31-00.jpgFoto39-00.jpgFoto41-00.jpgFoto46-00.jpgFoto51-00.jpgFoto53-00.jpgFoto59-00.jpgFoto60-00.jpgFoto65-00.jpg


AWARD'S

coracoes_br.gif

coracoes_br.gif

coracoes_br.gif

”Aprovadíssimo!!!”

coracoes_br.gif


O M E U A W A R D

Animation10000.gif

ebit1_99x56_2006-.gif

BLOGS PARTICIPANTES NO EBIT

Fogotabraze

Starwatcher

Azoriana/Açoriana

Ofeliazinha

Porto das Pipas

Chá Verde

O Vent(ilha)dor

Luso's Lair

Mike "Dawg" Maciel

Quebra Cabeças

Miauu Girls

Ideias e Ideais

Biscoitos

Redescobrir o Mundo Rural

Desambientado

Ilhéu do Norte

Rapariga das Laranjas

Angel

blogs SAPO

subscrever feeds